Guias de Recolhimento da União já podem ser pagas por PIX

segunda-feira, novembro 16, 2020



Tesouro Nacional e SERPRO lançam plataforma digital que permite a compensação imediata dos pagamentos, impulsionando a transformação digital do país



A partir desta segunda-feira (16/11), o
Governo Federal
começa a adotar o PIX, o novo meio de pagamento eletrônico que permite transferências instantâneas e sem limitação de horários. A Guia de Recolhimento da União - GRU é o primeiro documento que já pode ser pago com a tecnologia, resultado de um projeto do Tesouro Nacional desenvolvido pelo Serpro, empresa de inteligência em TI do
Governo Federal
.

As GRU's são utilizadas para pagamento de taxas, como custas judiciais e emissão de passaportes, multas, aluguéis de imóveis públicos, pagamento de serviços educacionais - inscrições para concursos públicos e vestibular em universidades federais além de inúmeros outros serviços públicos.

Só no ano de 2019, foram pagas cerca de 37 milhões de GRU's em todo país, um ingresso de cerca de R$ 120 bilhões aos cofres públicos. "É um avanço bastante significativo para a vida das pessoas. Um processo em construção que tende a ser ampliado. É muito importante avançar no contexto tecnológico e desburocratizar a economia", afirmou o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal.

Para o presidente do SERPRO, Gileno Barreto, essa solução é mais uma iniciativa para impulsionar a transformação digital do Brasil e vai ao encontro dos objetivos do Governo Federal de desburocratizar os serviços para o cidadão. "É a evolução do pagamento da GRU para facilitar o acesso do cidadão a serviços de governo. O projeto será expandido futuramente também para o pagamento do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF)", revelou.

Como a tecnologia do PIX permite o pagamento instantâneo, o cidadão que pagar pelo serviço público usando o novo meio eletrônico pode usufrui-lo na hora. “Ao efetuar o pagamento, o cidadão já pode ter o serviço de um órgão público disponível imediatamente.

Sem a nova tecnologia, é preciso aguardar até três dias para o valor ser compensar na conta da União, obrigando a pessoa a esperar esse tempo para usufruir do serviço público. Mas com o PIX, tudo é instantâneo”, destacou o gerente do do Departamento de Negócio Soluções para Gestão de Finanças, Alexandre Magno.


Para permitir o pagamento da GRU via PIX, o órgão ou entidade pública federal deve fazer parte do PagTesouro. Com a solução, o governo pode verificar, em tempo real, o efetivo recolhimento da taxa e o cidadão consegue a compensação imediata dos pagamentos. "Até agora, o único meio de pagamento no PagTesouro era o de débito automático para correntistas do
Banco do Brasil
.

Com o PIX, há uma democratização, já que passamos a permitir a quitação para 762 empresas entre bancos, fintechs, serviços de pagamentos, cooperativas de crédito e afins", explica o consultor de negócios responsável pelo projeto no Serpro, Nelson Santos. O PagTesouro fica integrado aos ambientes virtuais dos órgãos que fazem parte do sistema.

O usuário simplesmente percebe que surgiu a opção "pagamento por PIX" no ambiente que gera a GRU. Por enquanto, essa forma de pagamento é possível apenas para as GRU's emitidas por três órgãos: Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a
Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura
(SAP/MAPA).

"Na medida em que os contribuintes passarem a utilizar o PIX no seu cotidiano, a tendência é que o governo ofereça essa facilidade para o pagamento de todos os serviços públicos, o que deve aumentar significativamente o número de usuários do PagTesouro", avalia Nelson Santos.


Voce pode ler também

0 comentários

Publicidade - Themoneytizer

Denakop

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ