Senado aprova com folga indicação de Kassio Nunes ao STF

quarta-feira, outubro 21, 2020



O desembargador Kassio Nunes teve o nome aprovado pelo plenário do Senado nesta quarta-feira (21/10), para ocupar uma vaga no
STF - Supremo Tribunal Federal
, após cerca de 10 horas de sabatina, quando admitiu que determinados atos da Lava Jato podem ser passíveis de correção e defendeu a harmonia entre os Poderes.
Em votação secreta, o magistrado recebeu 57 votos a favor, 10 votos contra e uma abstenção, e se tornará o primeiro ministro do Supremo indicado pelo presidente Jair Bolsonaro. Ele vai suceder o decano Celso de Mello, que se aposentou no início do mês.

Aos 48 anos, Nunes teve uma sabatina relativamente tranquila na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), em que a maioria dos senadores defendeu sua escolha. Ele poderá ficar no Supremo até 2047. Em uma longa sabatina na CCJ, Nunes disse reconhecer os méritos da operação Lava Jato. "Acho que não há um brasileiro, um membro do
Ministério Público Federal - MPF
ou um magistrado que não reconheça os méritos de qualquer operação no Brasil", disse, durante a série de questionamentos.

"O que acontece, pode acontecer em qualquer operação, em qualquer decisão, em qualquer esfera, é: se houver determinado ato ou conduta, seja da autoridade policial, seja de algum membro do
Ministério Público Federal - MPF
ou de algum membro do Poder Judiciário, essas correções podem ser feitas, nada é imutável", argumentou.

O indicado à cadeira da suprema corte argumentou ser possível a realização de investigações de combate à corrupção e ao mesmo tempo garantir direitos fundamentais de suspeitos de envolvimento. "Eu não verifico nenhum conflito entre ser um juiz garantista e isso de alguma forma atrapalhar na escorreita condução de feitos ou no combate à corrupção no Brasil. Ao contrário, eu acho que chegaremos a uma construção muito mais justa ao final e sem margem para qualquer nulidade no processo", declarou.


Fonte:
Reuters

Voce pode ler também

0 comentários

Publicidade - Themoneytizer

Denakop

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ