BC diz que não há definição sobre valores e prazos para a redução de compulsórios

quinta-feira, junho 27, 2019



Depois de o ministro da Economia, Paulo Guedes , dizer, nesta quinta-feira (27/06), que o governo injetaria mais de R$ 100 bilhões na economia por meio da liberação de compulsórios , o Banco Central do Brasil divulgou nota para dizer que ainda não há definição de prazos ou de valores. De acordo com o comunicado, a redução dos compulsórios, dinheiro que os bancos são obrigados a deixar depositados no Banco Central do Brasil, faz parte de uma agenda do governo para aumentar a eficiência no mercado financeiro.

Batizada de BC#, ela envolve medidas que poderão, segundo a autoridade monetária, "trabalhar com um nível de compulsórios mais baixo no futuro". "A redução estrutural dos compulsórios é uma das ações da Agenda BC#, parte do pilar de eficiência de mercado. O aprimoramento dos atuais instrumentos de assistência financeira de liquidez, também previsto na Agenda BC#, nos permitirão trabalhar com um nível de compulsórios mais baixo no futuro. A ação ainda está em curso, sem definições de prazos ou montantes. O BC não antecipa decisões ou regulações", diz a nota.

Ainda de acordo com o Banco Central do Brasil, a redução dos compulsórios a prazo anunciada na quarta-feira, que vai liberar R$ 16,1 bilhões para empréstimos dos bancos, só surtirá efeito no mercado a partir do dia 15 de julho de 2019.


Fonte: O Globo

Voce pode ler também

0 comentários